Posicionamento da APT sobre a temporada de cruzeiros no Brasil


A Associação dos Profissionais do Turismo da Baixada Santista (APT-BS), em nome de seus associados, apoia as cias marítimas Costa Cruzeiros e MSC Cruzeiros, que num ato de extremo respeito aos viajantes-cruzeiristas, seus tripulantes e aos profissionais de turismo, e de coragem, decidiram suspender de forma preventiva, voluntária e temporária a atual Temporada de Cruzeiros Marítimos na Costa Brasileira.


Essa atitude demonstra de forma clara o compromisso das cias marítimas (acima de qualquer situação) com seu objetivo principal, que é preservar a vida de todos, e consequentemente reforça o apoio a toda indústria do Turismo no Brasil.


A APT reconhece os esforços e declara que segue confiante nos protocolos, que de forma especial foram desenvolvidos e são aplicado pelas cias marítimas no Brasil, mantendo nosso total apoio à CLIA Brasil. Acreditamos que brevemente a Temporada de Cruzeiros será retomada, com o apoio de todas as autoridades e de todos os viajantes-cruzeiristas.


Todos os profissionais de turismo estão empenhados e prontos para apoiar e colaborar com a correta orientação e divulgação de todos os protocolos junto aos turistas.

Conhecemos a capacidade de superação de nossa indústria e estamos convictos de que em breve todos os procedimentos que serão adotados na temporada brasileira servirão de modelo para a retomada do segmento de cruzeiros marítimos em outros países do mundo.


Todos nós estamos redescobrindo uma nova forma de viajar. Reaprendendo a ser feliz, como estar presente mesmo à distância e como fazer o turismo acontecer, sem aglomeração, sem grandes deslocamentos e com todos os protocolos de segurança.


Essa nova forma de viajar, com mais consciência e com respeito à vida, é o que reforça a nossa fé de que tudo será feito para que todos possam voltar a viajar de navio a partir do dia 21/1/2022, com toda segurança.


Impacto Econômico

A temporada atual, que começou em novembro de 2021, tem previsão de movimentar mais de 360 mil turistas, com impacto de R$ 1,7 bilhão, além da geração de 24 mil empregos, envolvendo uma cadeia extensa de setores da economia, entre eles comércio, alimentação, transportes, hospedagem, serviços turísticos, agenciamento, receptivos e combustíveis, entre muitos outros.


Estima-se, conforme estudo da CLIA Brasil em parceria com a FGV, que cada navio gera em torno de R$ 350 milhões de impacto para a economia brasileira. A cada 13 cruzeiristas, um emprego é gerado.


Diretoria da APT-BS


150 visualizações0 comentário